Translate

December 22, 2014

PROPOSTA SEMANA DO HIP HOP 2015 de 01 a 31 de Março

CENTENÁRIO ABDIAS DO NASCIMENTO & AQUALTUNE

Do Quilombismo, Negro Revoltado ao Genocídio dos Jovens Pretos

Núcleo de Memória aos Black Panthers e Malcolm X, a influência desses ícones junto ao Movimento Hip Hop Brasileiro.
Núcleo de Ações: Movimento Zapatista, Sendero Luminoso, Tupac Amaru, Farcs, Mara Salvatrucha – MS13.
Núcleo de Ação Política: visa traçar um panorama de luta dos jovens ligados ao Movimento Hip-Hop na América Latina, promovendo articulação e intercâmbio cultural entre atores do Movimento Hip Hop que atualmente lutam contra opressão numa perspectiva juvenil e antirracismo.
As atividades realizadas em cada núcleo celebrará o Centenário de Abdias do Nascimento & Aqualtune, apresentando a sua trajetória e abordará a influência dos Panteras Pretas e de Malcolm X para o Hip-Hop.
Em cada núcleo serão organizadas oficinas, debates, apresentações artísticas e shows regionais.

ESTRUTURA ORGANIZATIVA DOS EVENTOS REGIONAIS DA REDE CEU 

PARA A REALIZAÇÃO DA SEMANA DO HIP HOP 2015

Países a serem convidados: México, Haiti, Cuba, Bolívia, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Equador, El Salvador, Peru, Guatemala, Colômbia...

ABERTURA
Mestre de cerimônia faz as considerações, objetivos e finalidade e realiza a leitura da lei que deu origem a semana do hip hop

Memória
Apresentação dos Homenageados: Abdias do Nascimento e Aqualtune.

Memória: Black Panthers e Malcolm X
Exibição de Documentários

Oficinas
Origem histórica do Movimento Hip Hop e técnicas dos 4 elementos do hip hop

Encerramento sexta-feira
Debate com representantes do intercâmbio internacional Globalização do Genocídio “Aspectos da Mortalidade Juvenil na América Latina”.
Mesa composta por
  1. Representante da América Latina
  2. Pesquisador sobre o tema aqui de são Paulo;
  3. Representante do Governo Municipal;
  4. Mediador do Movimento Hip Hop o qual fara intervenções e apresentando o quadro da Criminalização da Juventude do Território.
Sábado Evento de Encerramento na Rede CEU
Artistas locas, artistas do intercâmbio, garantir os 50% de homens e mulheres e que sejam do território em todos oselementos

Eventos regionais que não forem realizados serão remanejados para a região central


Núcleos
Zapatista; Sendero Lumino, Tupac Amaru, Black Panthers, Malcolm X, Farcs

Coordenação dos eventos
Fórum Hip Hop

CRONOGRAM DAS REGIÕES:
DATA 
AÇÃO
LOCAL
01/03/2015
Abertura
Clube Atlético Tietê

02 a 08/03/2015
Eventos regionais Leste 1 e 2
CEU: Água Azul, Inácio Monteiro e Vila Curuçá

09 a 15/03/2015
Eventos Regionais Sul 1 e 2
CEU

16 a 22/03
Eventos Regionais Norte e Oeste
CEUS e CCJ

20/03/2015
Prêmio Sabotage
Câmara Municipal

20 a 31/03/2015
Eventos do Centro
Praça da Arte, Marco Zero, Praça Roosevelt, Centro Cultural Vergueiro, Biblioteca Mario de Andrade, Galeria Ólido, Câmara Municipal e Boulevard São João (Anhagabau)



November 02, 2014

SEGURANÇA DA EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS.

SEGURANÇA DA EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS.
Rapper Pirata   http://rapperpirata.blogspot.com.br/

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, de 2010)


           Eu percebo no cotidiano as ações da segurança pública brasileira, elas vem somente realizando atentados a vida e a liberdade da população pobre, preta e periférica, essas pessoas não consideradas  consumidores e hoje nem massa de reserva do trabalho, por não poderem comprar seus direitos, mesmo participando na formação do PIB (produto interno bruto) pelos impostos transferidos pelos empresários na mercadoria.

         Mas uns tais esquerda que se dizem cientistas por classes médias trazem para o debate politico a solução da desmilitarização de uma certa instituição do estado, a solução extremamente simplista porque eles não conseguem imaginar uma sociedade sem uma estrutura de policia, não desejam despregarem se dos valores da propriedade. O que isso resulta politicamente? A garantia do pleito em eleições de capitães do mato, os que propagam serem os defensores dos homens de bens (bem); a manutenção da implantação do estado militar carcerário, o que tem o governador de São Paulo como engenheiro.

   Quando havia o conflito da existência do estado militar civil das décadas de 60, 70 e 80,  esses tais cientistas políticos brigavam contra a tortura de seus iguais, após 85 calaram-se,  porque mantem as tais torturas  desde de lá, desse passado histórico,  que hoje vitaminiza  as crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos pretos, pobre e periféricos..

   Temos mais de vinte anos a estratégia do PSDB e outros partidos de garantir as eleições através da propagação do medo, onde o pobre é inimigo número um da propriedade; também as ideias do neoliberalismo que entrou nas entranhas do estado junto com os mídias  defensores dessa ideia; além da voraz fome de lucro do PIB pela a industria bélica.

Então são mais de três décadas que não há ação alguma contra a corrupção nas ruas realizadas pelos agentes do estado , além de homicídios que não são mais velados por defensores dessa estrutura de segurança que nunca será humanizada,  o principio é defender a propriedade e enriquecer se com ela. Temos hoje programas de televisão tipo policia 24 horas,  entre outras  'fitas'  para legitima los.

 Lógico que a gota de sangue midiático para esses capitães do mato virarem heróis foi a longa-metragem que havia o tal capitão Nascimento. Então diversos agentes do estado procuram trazer para a  realidade o personagem das torturas na caladas de delegacias entre outros lugares,  onde tem sacos para sufocar entre outras barbáries que são produzidas no cotidiano periférico.
Agora o desafio será pensar um país sem a tal segurança pública, porque qualquer que seja seu exemplo sempre terá que ter um inimigo, tanto que EUA são latinos, muçulmanos, pretos e aqui pobres, jovens, pretos e periféricos.
Uma das soluções seria o investimento maciço do PIB nos direitos sociais: educação,  saúde,  alimentação,  trabalho,  moradia,  lazer (cultura), previdência social, proteção à maternidade e à infância, assistência aos desamparados. Menos o de segurança, porque se houvesse a distribuição de renda dessas fortunas que o estado faz no dia a dia, os pobres não arriscariam
suas vidas e de seus familiares para obterem dinheiro para sobreviver.